domingo, 29 de Setembro de 2013

James Runcie - A cor do céu

Este livro não é de todo daqueles que vicia e nem tem uma história apaixonante, no entanto, cheguei ao fim do livro com uma espécie de sensação de calma e um sentimento de que gostei imenso de o ler, coisa que nem sequer sei explicar...
Recomendo, talvez vos aconteça o mesmo.



" Se tiver de lhe dizer adeus, nunca partirei."

"Não tenhas medo da fé."

"O amor tem a sua própria linguagem."

"Amor não é o mesmo que desejo."

"Existe um vidro especial que se despedaça quando é tocado por qualquer vestígio de veneno. [...]
Gostava de ter a percepção desse vidro [...]. Ser capaz de dizer, imediatamente,, se as coisas estiverem erradas. Confiar. Saber para onde vou. Acreditar que o chão sob os meus pés é capaz de me suportar o peso. Que não irei tropeçar ou cair."

"Sê bravo. Vive com ousadia."

"Amas-me? Não posso voltar a perder alguém. O meu coração não pode ser amolecido só para se quebrar de novo."

"Os que falam nada sabem, os que sabem ficam em silêncio."

"Não é possível orar sem dúvida, amar sem medo ou viver sem o passado."

"Embora tivesse sempre temido a sua morte, nunca imaginei isto. Tentei antecipar tudo o que haveis dito, mas quando o momento chega descobrimos que não pode ser imaginado. Desperdiçamos aquele tempo gasto a sentir medo, a imaginar o desastre. Devemos viver com o que temos quando o temos. Sei isso agora. Compreendo-o, mas é difícil. Quando amamos não conseguimos evitar temer a sua perda."

0 comentários: